Luma Elora Aislin

Luma Elora Aislin
Sabá de Ostara

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Tecendo considerações sobre paganismo.


Pousando de vassoura......para falar de paganismo.


Realizando uma análise do termo paganismo e sua subsequente aplicação nos dias de hoje, o termo pagão designa morador do campo, ficou em voga agora, pós Gardner e a Wicca, talvez não tanto por seu significado mas, por um antagonismo de pirraça a ICAR, que se apropriou do termo para designar aqueles não batizados....não batizado é "pagão", usado sempre num sentido bem pejorativo, diria eu ofensivo mesmo, um excluído das benesses divinas,rsrsrs. O que ocorre nessa função semântica toda é mais um caráter social que religioso, o paganismo, entrando aqui como sinônimo da prática de bruxaria/wicca...


Há que se fazer a divisão da prática religiosa no ontem distante, uma prática religiosa professada em níveis sociais distintos e em culturas distintas...a questão é mais socioeconômica e cultural do que propriamente religiosa.


De acordo com o modus vivendi, vamos ter, a Antiga Religião, praticada pela classe sacerdotal, protegida nos templos, aqui entram todas as formas de templos, não interessa se em uma construção ou sob a sombra dos carvalhos...mas, sim sob regência e, exclusiva presença de sacerdotes e sacerdotisas.


Temos a Antiga Religião como prática do povo em si....a grande massa não sacerdotal realizando seus ritos para honrar seus deuses e suas crenças.


E, por fim, temos aquela bruxa...aquela do povo...mas, que por seus poderes além dos iguais, urge um sistema de vida à parte, às vezes por discriminação, pelo povo apenas aceitar que determinados poderes somente podiam advir da classe sacerdotal, devidamente amparada e respaldada nos poderes divinos para isso.....era como se aquela pessoa fosse uma anomalia...possuia poderes que não podia ter...era excluída e uma vez ressentida..poderia ancorar uma energia totalmente contrária...então, seria como uma discípula do outro lado, do lado negro...ora pois, então, como a Wicca hoje arvora a criação de um satã apenas de criação católica....a Icar não criou nada...ela não teve criatividade para isso..aliás como em tudo....
tudo cópia, tudo aproveitamento....não que lhe falte a virtude da criação, é que se aproveitar sempre foi muito mais vantajoso e deu muito menos trabalho, distorcer o que já estava posto.


Essa mesma figura, em dada cultura ou em um dado momento, poderia ser o contrário, poderia ser vista com carinho e ser valorizada, como uma legítima representante dos Deuses em seu meio, mais acessível do que as grandes senhoras sacerdotisas....uma comparação...era como ter um médico a disposição na aldeia...um posto de saúde...sem precisar para qualquer motivo urgente se socorrer do hospital, esse sempre localizado alhures, mais distante...um único para muitos.....Então, temos aqui a figura da bruxa isolada em sua choupana, meio da mata mas, próxima o suficiente para socorrer quem a procurasse.....ou para um lado, ou para o outro, ou ainda o mais comum jogando em ambos os lados.....uma espécie peculiar de magia cinza, que deve ter com certeza gerado bastante desdobramento kármico...não é à toa que estamos aqui em massa.....nesse momento.


Temos a bruxaria como forma de prática religiosa a "Antiga Religião", de toda uma população....em que, em sua grande maioria era "pagã" por viverem nos campos, servos, camponeses, senhores feudais, nobres, em suas vastas e campestres propriedades, as grandes cidades serviam mesmo ao povo etinerante e ao comércio e, aos ligados ao governo e, .......lá estavam também, na sua maioria (quer dizer na maioria das civilizações), os templos, e suas classes sacerdotais.


Aqui temos então, a legítima mantedora da religião.....aqui as escolas de mistérios, aqui os testes, as explicações, aqui os saltos quânticos, maiores as responsabilidades e aqui também como em tudo o tombo bem maior...e aqui a causa da distorção religiosa....aqui a deturpação do poder divino com o temporal......


Como vocês podem ver, nos dias de hoje se pegou o paganismo como forma de qualificar todo aquele que não reza pela cartilha cristã...bem, foram eles mesmos que assim determinaram, adonando-se de um termo e distorcendo o mesmo, mas porque esse termo e não outro.

Um comentário:

Aline disse...

Fantastico o blog vou dorimir sem terminar de ler inteiro,mas amanha eu termino!
Parabens!